Untitled Document
ARTIGOS - DEPRESSÃO

DEPRESSÃO

 

          DEFINIÇÃO:

          O termo depressão pode significar tanto um estado afetivo quanto um sintoma, uma doença ou uma síndrome. A depressão pode surgir, enquanto sintoma,  nos mais diversos quadros clínicos, como: estresse pós – traumático, dependência química, luto, situação econômica, relacionamento, etc. Em doença, pode aparecer como distima, transtorno bipolar, depressão maior, entre outras. Como síndrome, inclui alteração do humor, psicomotora, cognitiva e vegetativa.

          Quando se faz um diagnóstico de depressão, deve-se levar em consideração as alterações de comportamento (crises de choro, tendência suicida, retardo ou agitação psicomotora, isolamento, etc.), os sintomas psíquicos (humor depressivo, diminuição da capacidade de pensar, se concentrar ou tomar decisões, fadiga, perda de energia, etc.) e fisiológicos (alteração do sono, apetite e diminuição da libido).

 

          TRATAMENTO:

 

          O trabalho psicoterapêutico é fundamental tanto para o paciente quanto para os que o cercam, principalmente em crianças, pois só assim a família terá estabilidade emocional suficiente para maior eficácia no tratamento. A ajuda dada aos familiares torna-se ainda mais importante se levarmos em conta o grau da patologia.

Para tanto, dentro das diversas linhas teóricas existentes na psicologia, será explorado a seguir o tratamento da depressão nas abordagens cognitivo – comportamental e psicanalítica.

          Cognitivo – comportamental: consiste na utilização de técnicas que buscam corrigir comportamentos disfuncionais e pensamentos distorcidos. O objetivo é detectar e modificar atitudes que reduzem as atividades sociais, profissionais e de lazer, visando a qualidade de vida e o bem estar, dando enfoque em novas possibilidades, resolução dos problemas e o alívio dos sintomas.

          Psicanalítica: busca modificar a estrutura da personalidade do paciente, não só o alívio dos sintomas. Com objetivo de melhorar a confiança nas relações, aumento da auto estima, melhoria no enfrentamento dos problemas e das perdas. A terapia psicanalítica propõe ampliar as emoções do paciente.

 

         

DEPRESSÃO NA INFÂNCIA / ADOLESCÊNCIA:

         

          Nesta etapa da vida, a depressão geralmente acontece após algum evento traumático, como: separação dos pais, falta de carinho e atenção, falecimento de parente ou amigo, mudança de residência, morte de animal doméstico, abuso sexual, entre outros. A doença pode ser percebida de maneira progressiva, por meio de uma dificuldade em sorrir, lentidão, falta de interesse, baixa auto – estima, podendo inclusive demonstrar idéias suicidas.

          Para que se faça um diagnóstico preciso é necessária a associação de diversos fatores históricos e permanência dos sintomas. Muitas vezes os pais ignoram determinados comportamentos (apatia, desinteresse, etc.) acreditando se tratar de “obediência”, o que é muito grave, pois além de gerar um grande sofrimento na criança e agravar a doença, pode provocar uma desadaptação ao meio familiar e social.

 

 

          DEPRESSÃO NA TERCEIRA IDADE:

 

          Segundo Stoppe (1999), a diferenciação entre os sintomas relacionados a doença e as alterações associadas ao envelhecimento, são importantes tanto no estudo clínico e psicopatológico da depressão, quanto no diagnóstico e na determinação dos diversos fatores que contribuem para gênese dos transtornos depressivos.

          Um idoso pode apresentar sintomas depressivos, que estão ligados ao envelhecimento por conta de algumas limitações, relacionadas a perdas psíquicas, como por exemplo: esquecimento, lentidão no raciocínio; ou físicas, dores crônicas, distúrbios do sono e apetite.

          No diagnóstico é necessário incluir, além da síndrome, o estado de saúde físico, cognitivo, condição sócioeconômica e relacionamento familiar. Os dados da história de vida, tratamentos anteriores e condição psicológica são dados significativos durante o tratamento.

 

 

Alexandra Bertani, psicóloga clínica – CRP 62279

Vanessa Müller, psicóloga clinica – CRP 65914

 

 

 

REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICA:

 

 

KAPLAN, H.I., SADOCK,B.J., GREBB, J.A. – Compêndio de Psiquiatria: Ciências do Comportamento e    Psiquiatria Clínica, Porto Alegre, Editora Artes Médicas, 7ª edição, 1997.

 

LAFER, B., ALMEIDA, O.P., FRAGUAS, J.R., MIGUEL, E.C. – Depressão no Ciclo da Vida, Porto alegre, Editora Artmed, 2001.

 

MARCELLE, D. – Manual de Psicopatologia da Infância de Ajuriaguerra, Porto Alegre, Editora Artmed, 5ª edição, 1998.

 

STOPPE, J.A., LOUZA, N.M.R. – Depressão na Terceira Idade: Apresentação Clínica e Abordagem Terapêutica, São Paulo, Editora Lemos, 2ª edição, 1999.

 

 

 

 

 

 

 

 

 




Voltar para Artigos
Psicologia Mooca - Todos os Direitos ReservadosRua Tobias Barreto, 578 - Mooca - São Paulo - SP - Tel. 11 2601-8092 - Whatsapp +55 11 96205-6865