Untitled Document
ARTIGOS - TERAPIA FAMILIAR COMPORTAMENTAL

TERAPIA FAMILIAR COMPORTAMENTAL

Alexandra Bertani (1)


                    A terapia familiar comportamental caracteriza-se por um acompanhamento cuidadoso com a demanda do cliente e uma avaliação com a aliança terapêutica, a questão de empatia, resistência, comunicação e habilidades para resolver problemas, além das técnicas utilizadas durante o tratamento.

                    O comportamento é mais determinado por suas conseqüências que por seus antecedentes, desta forma os profissionais tornam-se conscientes de que as famílias (como um todo) são mais “complicadas” que o indivíduo (como parte). Portanto, a análise das seqüências dos comportamentos anteriores ao tratamento, o acompanhamento da terapia em progresso e a avaliação de seus resultados, são marcas da terapia cognitivo-comportamental.

                    Segundo Thibaut e Kelley (1959), um bom relacionamento é aquele que há equilíbrio entre o dar e o receber. O afeto, a comunicação e o cuidado com os filhos, são comportamentos muito importantes para a satisfação conjugal. Todos os casais, com o tempo entram em conflito, por isso a necessidade da manutenção da harmonia familiar para resolução de problemas. É fundamental se concentrar nas questões mais difíceis, discutir as preocupações, descrever o próprio sentimento e solicitar mudanças no outro, não apenas criticar ou se queixar. Por exemplo, uma pessoa que diz: “eu tenho me sentido solitário e preciso da sua atenção”, tem maior probabilidade de conseguir mudanças positivas, do que quem diz: “você nunca se importa com o que eu quero”. As preocupações devem ser expressas como solicitações e não como ataque.

                    Com relação aos filhos, os pais normalmente reagem ao comportamento problemático com repreensões, porém essas atitudes que parecem punições, podem, na verdade, estar reforçando a atitude da criança. Um pai/mãe mesmo estando zangado, está nesse momento, oferecendo atenção ao filho. Além disso, existe a questão de que os pais fazem ameaças que não cumprem; eles usam punições tão leves que não surtem efeito ou tão severas que causam medo e ansiedade, em vez de uma aprendizagem adequada.

                   

O casamento proporciona muitas oportunidades para trocas compensadoras, e os casais bem ajustados trocam muitos benefícios, inclusive a reciprocidade entre pais e filhos.

                    O terapeuta familiar molda o tratamento para que ele se adapte a cada situação, com o objetivo de eliminar o comportamento indesejável e aumentar o positivo, definido pela família (Azrin, Naster e Jones, 1973).

                    As etapas da terapia familiar são:

-        Realizar uma avaliação detalhada.

-        Determinar a freqüência básica do comportamento problemático.

-        Orientar e proporcionar informações sobre o sucesso do tratamento.

-        Estabelecer estratégias específicas para mudanças do que está sendo tratado de acordo com cada família.

 

Os relatos da terapia familiar são acompanhados de avaliação dos resultados, onde é trabalhado o treinamento de pais, tratamento de casais e terapia sexual, pois os problemas comportamentais são causados por padrões disfuncionais de reforço entre os cônjuges ou pais e filhos.

O tratamento em geral é focado no sintoma, com o objetivo de aumentar as trocas compensatórias, reduzir as aversivas, trabalhar a importância da comunicação adequada e extinguir o comportamento problemático.

 

 

 

              (1)Alexandra Bertani

Psicóloga Clínica

CRP 62279

 

 

Referência Bibliográfica:

NICHOLS, M.P., SCHAWARTZ, R.C. –Terapia Familiar:

     Conceitos e Métodos, Porto Alegre, Ed. Artmed, 1998.




Voltar para Artigos
Psicologia Mooca - Todos os Direitos ReservadosRua Tobias Barreto, 578 - Mooca - São Paulo - SP - Tel. 11 2601-8092 - Whatsapp +55 11 96205-6865