Comunicação: Difícil ou Impraticável?

Responder essa questão é algo muito complexo, pois remete a ausência de diálogo nas relações, sejam essas entre pais e filhos, amigos, colegas de trabalho e na maioria das vezes, entre os casais. As pessoas ficam tão centradas em si mesmas que acreditam serem únicas, especiais e extraordinárias, dessa forma, projetam no outro a própria maneira de ser e de pensar.
Partindo do ponto de vista que uma pessoa pode fazer parte da minha vida, mas não é minha própria vida, torna-se evidente que o outro só vai saber o que sinto e penso, através de uma conversa. Ainda que o assunto cause desconforto, é necessário priorizar os fatos e aprender a lidar com a realidade, para não haver dúvidas.
Saber se expressar, ouvir, ter objetividade e respeitar a opinião do outro, fazem parte de uma boa comunicação.
Um relacionamento seguro e tranquilo, depende da cumplicidade, do respeito e é claro, das conversas saudáveis.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Artigos
alexandra@psicologiamooca.com.br

Querofobia

*Sabia que o medo de ser feliz tem nome* ? _“`Querofobia“`_ .   A pessoa que tem querofobia, sente medo de ser feliz. Situações que deveriam alegrar, na verdade causam alguns sintomas como: -ansiedade. -dores de cabeça e nos músculos. – creem que a felicidade não é algo positivo. -acreditam que estar num lugar divertido, significa que algo ruim vai

Leia Mais »
Artigos
alexandra@psicologiamooca.com.br

Qual sensação seu trabalho te causa?

  Responda algumas perguntas: – você gosta da sua profissão? – o ambiente em que você trabalha é saudável? – ir trabalhar te causa paz ou angústia? – você acorda motivado para iniciar suas atividades profissionais diariamente? – antes de dormir fica pensando nas coisas que ainda tem pra fazer ou consegue desligar? – seu horário de almoço é respeitado?

Leia Mais »
Artigos
alexandra@psicologiamooca.com.br

Como falar o que pensa e sente?

*Como falar o que pensa e sente?* Antes que o silêncio comece a sufocar, é hora de ter uma boa conversa. Muitas vezes ficamos com aquele “nó na garganta”, um mal estar que asfixia nossas emoções, onde o corpo chega a doer. Não espere a gota d’água, organize seus pensamentos e coloque em palavras ou escrita, sempre em primeira pessoa

Leia Mais »
× Como posso te ajudar?